Diário de gravidez: Reta final

Última foto da barriga, um dia antes do parto.

Última foto da barriga, um dia antes do parto.

O último post do diário de gravidez chegou.

É até com um pouco de saudade que escrevo sobre essa fase.

Confesso que durante as ultimas 5 ou 6 semanas eu me sentia horrível. A barriga pesava muito (eu sou minúscula né) e eu sentia dores no corpo todo.

Dor nos quadris, na perna, nas costas.

Era impossível virar na cama a noite com rapidez e a dor nos quadris me obrigada a fazer isso umas seis vezes por noite!

A cada duas horas eu tinha que levantar para ir ao banheiro, a minha bexiga estava com capacidade mínima.

Até os movimentos do bebê ficaram doloridos, cada mexida que ele dava um órgão meu acabava esmagado. Isso quando ele não decidia empurrar minhas costelas. Ele praticamente não tinha espaço aqui dentro.

Por volta das 37 semanas eu chorei porque com a ajuda de um espelho (ajuda de um espelho, olha o tamanho da derrota) percebi umas estrias largas bem embaixo da barriga. Fiquei tristíssima porque me empenhei em não ter nenhuma, mas elas apareceram porque meu corpo já não suportava mais o peso da pança.

Daí você pergunta: “ué mas nao era com saudade que você ia falar?”.

Siiiiiiiiiim, é com saudade. Por que nessa época ele mexia muito, fazia movimentos visíveis na barriga do lado de fora.

Eu dava um cutucões e ele respondia de volta com algum chute. Gravei vários vídeos disso com o celular.

Nessa época ele era só meu.

Apesar de todas as dores, da azia, da falta de ar, a gente sente saudades do barrigão.

Eu achava que não sentiria, mesmo porque minha gravidez passou das 40 semanas e eu já não aguentava mais andar feito pinguim, mas sinto sim.

Então, depois de 40 longas semanas e 5 dias ele nasceu. E mudou tudo aqui do lado de fora.