Diário de Gravidez – As primeiras semanas

sapatinhos gravidezEu fiquei meio em dúvida do nome que daria para os posts sobre a minha gravidez. Na verdade não é um diário, porque não vou falar todo santo dia sobre o assunto, mas também não encontrei outro termo melhor.

Quando descobri que estava grávida e confirmei com exame de sangue fiz o que faço de melhor: contei nas redes sociais já fazendo piada e caindo na zueira da vida. Postei dizendo que oficialmente aceitava doações de fraldas e roupinhas de bebê porque a vida não anda fácil e criança dá muito gasto (e aceito mesmo! hahah). E claro que com os parabéns se multiplicando eu reforcei com “Não me dê parabéns, me dê fraldas!”.

Esse começo foi fácil, fiquei só rindo e contando sobre para todo mundo que eu conhecia. Achei que ia ser daquela porcentagem mínima de grávidas que passa ilesa na gravidez sem enjoos. Mas que ingênua que fui.

Quando cheguei nas 7 semanas eu comecei a ter um enjoo absurdo. Alias quero matar quem disse que são “enjoos matinais”, eu enjoava a qualquer hora do dia, não tinha essa de hora marcada não. Se eu comia muito enjoava, se não comia enjoava, não podia nem olhar para certos alimentos (coitada da mussarela que virou minha maior inimiga).

Meu melhor amigo foi o Meclin que minha obstetra me passou e eu tomava o limite de 3 comprimidos por dia. Ou isso ou eu teria um ataque de nervoso. Tem coisa pior que não conseguir comer?

Tive um pouco de queimação no estômago e azia, que também é comum, mas foi melhor do que eu esperava, já que tenho gastrite e esofagite. Achei que fosse sofrer mais. Felizmente percebi que frutas sempre faziam a azia passar.

Dormir era um caso a parte. Eu não dormia eu hibernava. Cheguei a deitar as 21 de um dia e acordar só no dia seguinte. Quase doze horas seguidas de sono. Meu outro melhor amigo era o travesseiro.

E precisa dormir tanto assim? Não sei, mas a verdade é que o sono era incontrolável. Teve dias em que eu estava lavando louça e começava a “pescar”, a cabeça caindo e os olhos fechando. Era obrigada a largar tudo e tirar um cochilo.

Fiz o primeiro ultrassom logo no início e podem jogar pedras, mas achei bem estranho. É legal ouvir o coração, mas você só vê uma bolotinha que pulsa na tela e não dá muito para associar com uma criança né. O segundo foi bem melhor, já vi as perninhas e os bracinhos, as mãos não paravam de mexer, juro que vi um tchauzinho!

Como já tinha feito todos os exames pré-natal no mês anterior a descoberta da gravidez tive poucos para fazer nas primeiras semanas, além de ultrassons fiz um exame de sangue e de urina somente.

Com umas 9 semanas assim da noite para o dia achei minha pança enorme. É claro que aos olhos alheios eu parecia só uma gorda com pochete, mas eu sabia bem que aquela barriga não estava lá antes e não era minha haha. Conforme as semanas passavam ela foi ficando maior.

Em geral foi tranquilo, mas confesso que se eu trabalhasse fora iria sofrer.

Como você passa o dia sentada num escritório caindo de sono e morrendo de enjoo? Bato palmas para as mulheres que passam pela gravidez em trabalho em horário comercial (odeio horário comercial).