Finalmente li: Jogos Vorazes

jogos-vorazes

“Jogos Vorazes” é o primeiro livro da trilogia de Suzanne Collins, uma distopia que acompanha a história de Katniss, uma garota pobre do Distrito 12, um dos distritos pobres de Panem governado por um governo autoritário e opressor. Katniss luta para sustentar a mãe e a irmã depois da morte do pai e seu mundo vira de cabeça para baixo quando sua irmã é sorteada para participar dos Jogos Vorazes, os jogos anuais em que o governo recruta 2 jovens (um rapaz e uma moça) de cada um dos doze distritos e os coloca numa arena para que lutem até que apenas um sobreviva, afim de lembrar a todos que o poder pertence a Capital. Em pânico Katniss se oferece no lugar da irmã para participar dos jogos. Apesar de o tempo todo pensar apenas em como sair viva e voltar para a irmã, Katniss sem querer se torna o símbolo que todos precisavam para dizer um basta no governo opressor.

Comprei os livros da trilogia há meses, mas, por causa da falta de tempo, só em dezembro comecei a ler. Acontece que depois que assisti “Em Chamas” no cinema percebi que não iria mais conseguir esperar para saber o que acontece com essa trama.

A história é narrada em primeira pessoa e contada diretamente pela própria Katniss. Uma personagem forte, que caça e luta para alimentar a mãe e a irmã mais nova desde os 11 anos de idade. Aliás a irmã, Prim, é tudo o que importa para ela. Katniss vive no próprio mundo, não tem muitos amigos (a não ser Gale com quem caça sempre), não gosta de interagir com outras pessoas e não confia em ninguém fora as pessoas que já citei anteriormente. Acredito que essa falta de confiança se deva ao fato de que sua própria mãe de certa forma a traiu quando o pai morreu: entrou em choque e nada fazia, Katniss foi obrigada a assumir a casa mesmo sendo criança.

Mas Katniss não está nos jogos sozinha. Peeta é o rapaz sorteado para representar o Distrito 12 junto com ela e sou suspeita para falar dele. Desde o início ele é doce e cativante, extremamente gentil e não espera nada em troca de suas ações. Apesar disso Katniss passa boa parte do livro achando que tudo o que Peeta faz é só encenação para o público dos jogos. Não me esforço nem um pouco para esconder, sou para sempre Team Peeta.

Jogos Vorazes é extremamente complexo, traz críticas a sociedade. Muito bem pensado e escrito. A trama é extremamente envolvente e eu simplesmente lia madrugada a dentro. É até chocante. Imagine o horror de um governo que mata jovens (e quando digo jovens é de crianças a adolescentes, 12 a 18 anos) todos os anos apenas para mostrar sua força. Um governo que explora as pessoas de acordo com sua região, que pune quem tenta buscar sua própria comida na natureza para não morrer de fome. É assustadoramente genial e verdadeiro. É assustadoramente próximo da realidade.

Suzanne escreve com maestria e virei sua fã.

O filme e o livro.

Como na maioria dos casos o livro é sim superior ao filme, mas isso não significa que no cinema a história esteja ruim. O filme “Jogos Vorazes” tem algumas falhas de ritmo, as vezes tudo acontece rápido demais e a situação parece estranha, além de algumas mudanças em detalhes e personagens omitidos, mas mesmo assim tem seu mérito.

Vale a pena assistir.

Por fim…

Vale dizer que ainda estou no meio de “Em Chamas”, o segundo livro, e não posso dar palavra final sobre a trilogia em si.

E você, já leu?