O Turno da Noite

Desde que comecei o blog tinha vontade de comentar sobre o que já li, mas nos últimos 2 anos eu tive que dedicar boa parte do meu tempo livre para a faculdade e acabei não colocando a ideia em prática.

Vou começar com o Turno da Noite do André Vianco. Para falar a verdade eu não lembro como conheci o trabalho do André, mas o primeiro livro que li foi “Os Sete” em meados de 2007.

A história me surpreendeu muito, gostei e li “Sétimo” um tempo depois. Inclusive consegui autógrafo nos livros. Já que tinha lido 2 livros e gostado resolvi continuar e ler a série que seria uma espécie de continuação dessas histórias. Foi ai que comprei os 3 livros do Turno d a Noite.

O Turno da Noite conta a história de quatro vampiros recém-transformados que são atraídos por um vampiro ancião que vive em São Paulo. Ignácio oferece proteção e ensinamentos em troca de suas habilidades para lutar contra o crime organizado como uma espécie de justiceiros. Pensando que seria a melhor maneira de transformar sua maldição em algo útil eles se tornam o Turno da noite.

A maioria dos leitores de livros sobre vampiros tem resistência com histórias passadas no Brasil e você pode estar ai pensando que está tudo errado nessa série por causa disso. Mas o fato da história se passar em São Paulo não é nem de longe o maior dos problemas.

Eu gostei muito dos outros trabalhos do André e posso dizer que tanto em “Os Sete” quanto em “Sétimo” a história é bem crível e nem um pouco babaca por se passar em São Paulo e eu comecei minha leitura com as mesmas expectativas. Mas a verdade é que “O Turno da Noite” tem um ritmo enfadonho, os personagens são apáticos e não convencem. Achei que tudo pareceu meio forçado e muitas passagens dos 3 livros foram totalmente desnecessárias, passagens que não acrescentaram em nada na trama.

Meu desânimo foi tamanho que levei uns 3 anos para terminar os livros. Três anos. As únicas passagens divertidas eram as poucas em que personagens dos livros anteriores apareciam. Nas últimas páginas do terceiro livro os fatos eram tão bizarros e na minha opinião sem sentido (aquela coisa meio louca só para terminar a história mirabolante que se formou) que eu li freneticamente para acabar. Acabar era uma questão de honra já.

Fiquei um tanto chateada com isso, tinha realmente muitas expectativas me baseando no que já tinha lido e não chegou nem perto.

Então eu recomendo sim ler André Vianco, mas também recomendo pular “O turno da Noite”.